Page 9 - Revista 517
P. 9

REVISTA DA ARMADA | 517


















          OS MRCC LISBOA E DELGADA

           Os MRCC Lisboa e Delgada encontram-
          -se  inseridos  na  estrutura  principal  do
          serviço de busca e salvamento marítimo,
          são  guarnecidos  24  horas  por  dia,  sete
          dias por semana, 365 dias por ano e fun-
          cionam na dependência do Vice-almiran-
          te Comandante Naval, o Coordenador de
          Busca e Salvamento Nacional.
           Na dependência do MRCC Lisboa fun-
          ciona  o  Subcentro  de  Coordenação  de
          Busca e Salvamento Marítimo do Funchal
          (MRSC Funchal).
           Os MRCC Lisboa e Delgada encontram-
          -se co-localizados, respetivamente, com
          o  Centro  de  Operações  Marítimas  (CO-
          MAR)  e  com  o  Posto  de  Comando  do   Os  meios  marítimos  existentes,  como   CONCLUSÃO
          Comando da Zona Marítima dos Açores,   motas  de  água,  salva-vidas  de  grande,
          o que lhes permite aceder, em tempo, a   média  e  pequena  capacidade,  semirrí-  A solução encontrada para o cumprimen-
          múltiplos e complementares sistemas de   gidas  e  lanchas,  são  coordenados  pelos   to dos compromissos nacionais assumidos
          informações,  facto  que  contribui  para   capitães dos portos e pertencem ao Insti-  pelo país no âmbito da Organização Marí-
          que a missão possa ser cumprida de uma   tuto de Socorros a Náufragos ou à Polícia   tima  Internacional,  resulta  de  uma  abor-
          forma coerente e integrada.       Marítima.                          dagem  sinérgica  e  traduz-se  num  ganho
           A título de exemplo, refere-se que, em   A  Força  Aérea  Portuguesa  possui  um   efetivo de eficiência do Estado na sua atua-
          2016, os MRCC Lisboa e Delgada coorde-  dispositivo de meios aéreos para as mis-  ção nos espaços marítimos sob soberania e
          naram 715 ações SAR, das quais resulta-  sões de busca e salvamento, constituído   jurisdição nacional, resultando numa eleva-
          ram 457 vidas salvas.             por helicópteros (EH-101 e AL III) e aero-  da eficácia na prestação de socorro no mar,
                                            naves  de  asa  fixa  (P3-P,  C-130  e  C-295).   conforme atesta a taxa de sucesso de 97 por
                                            Estes  meios  são  ativados  pelos  RCC  Lis-  cento alcançada em 2016, considerando as
          MEIOS UTILIZADOS                  boa e Lajes, a pedido dos MRCC Lisboa e   fórmulas IMO para o cálculo da taxa de efi-
          PELOS MRCC PARA A                 Delgada,  para  participarem,  sempre  que   cácia de salvamento no mar.
          CONDUÇÃO DAS OPERAÇÕES            necessário, em operações de busca e sal-
                                            vamento marítimo.                            Colaboração do COMANDO NAVAL
           Para  a  condução  das  operações  de
          busca e salvamento marítimo, os MRCC
          Lisboa e Delgada têm  à  sua disposição
          meios  navais,  marítimos  e  aéreos  que
          fazem  parte  de  um  dispositivo  perma-
          nente da Marinha, da Autoridade Marí-
          tima  Nacional  e  da  Força  Aérea  Portu-
          guesa.
           A Marinha tem, em permanência, um
          dispositivo de oito navios com prontidão
          de duas horas e três navios com pronti-
          dão de doze horas. Os navios cumprem
          missões  no  continente  (Norte,  Centro
          e Sul) e nos arquipélagos da Madeira e
          dos Açores.



                                                                                                     ABRIL 2017  9
   4   5   6   7   8   9   10   11   12   13   14