Page 5 - Revista 518
P. 5

REVISTA DA ARMADA | 518


                                                               já correspondem a cerca de 30% da produção mundial desses
                                                               hidrocarbonetos, sendo que a OCDE aponta para que a produ-
                                                               ção de combustíveis fósseis offshore cresça, em média, cerca de
                                                               3,5% ao ano, até 2030 – um crescimento muito alavancado no
                                                               facto de os espaços marítimos albergarem cerca de 37% das re-
                                                               servas petrolíferas estimadas, das quais cerca de 1/3 em águas
                                                               profundas. Naturalmente, a aposta nas explorações ao largo da
                                                               costa tem variado em função do preço do petróleo e do gás, au-
                                                               mentando quando os respetivos preços sobem, pois isso torna
                                                               rentáveis poços a maiores profundidades. De qualquer maneira,
                                                               os analistas consideram que a maior parte das explorações de
                                                               petróleo offshore serão rentáveis se o preço do petróleo andar
                                                               na ordem dos 80 dólares por barril.

                                                              Energia eólica
                        Valor da economia do mar (dados de 2010)
          • A perspetiva de abertura da “passagem do noroeste” (rota ma-  Os espaços marítimos têm surgido, ultimamente, como uma
          rítima que liga o Atlântico e o Pacífico através do oceano Ártico).   alternativa  bastante  atraente  para  as  energias  renováveis,  no-
          Esta passagem só tem sido transitável no Verão, mas a diminui-  meadamente para a energia do vento. Quando se iniciou o in-
          ção dos gelos polares, devido ao aquecimento global, vai torná-  vestimento na energia eólica offshore (em 1991, na costa da ilha
          -la utilizável anualmente por períodos cada vez mais alargados,   dinamarquesa de Lolland), as turbinas eram sempre instaladas a
          possibilitando uma redução de 2700 a 5000 milhas na passagem   pouca profundidade, empregando-se modelos muito semelhan-
          do Atlântico para o Pacífico e vice-versa.          tes  aos  instalados  em  terra.  Todavia,  progressivamente,  foi-se
           Esses  fatores,  associados  à  expansão  económica  previsível,   aumentando a profundidade de instalação dos parques eólicos,
          apontam para um crescimento do transporte marítimo de 4,1%   graças à evolução da tecnologia das fundações submarinas e ao
          ao ano entre 2017 e 2019, 4% ao ano de 2020 a 2029, e 3,3%   desenvolvimento de turbinas de vento flutuantes.
          entre 2030 e 2040.                                    Isso contribuiu para que os custos por unidade de energia eóli-
                                                              ca produzida no mar e em terra se aproximassem bastante, pois
          RECURSOS ENERGÉTICOS                                as mais elevadas despesas de investimento e de exploração nos
                                                              parques offshore são compensadas pela economia de escala pos-
           O aumento das necessidades mundiais de energia tem levado   sibilitada pela maior dimensão desses empreendimentos e pela
          a procurar no mar, quer novas jazidas de combustíveis fósseis,   circunstância de o vento soprar sobre os oceanos com mais for-
          quer novas formas de energia. Algumas delas ainda se encon-  ça e mais consistência do que em terra. Isso faz com que todas
          tram em fases de desenvolvimento muito iniciais e distantes de   as projeções apontem para um crescimento muito significativo
          uma exploração rentável. Face ao exposto, apenas se abordarão,   da  energia  eólica  offshore,  assistindo-se,  nos  últimos  anos,  à
          neste artigo, os combustíveis fósseis (petróleo e gás natural) e a   expansão desta indústria das zonas costeiras para regiões cada
          energia eólica.                                     vez mais afastadas da costa, onde há mais espaço disponível e
                                                              menos concorrência em termos de usos do mar. Por tudo isso,
          Combustíveis fósseis                                a exploração eólica  offshore foi a indústria que mais cresceu
                                                              na Europa desde 2007, havendo ainda ótimas perspetivas de
           No que respeita aos combustíveis fósseis, a progressiva exaus-  crescimento. Com efeito, projeções do final de 2014 apontavam
          tão  das  reservas  existentes  em  terra  tem  contribuído  para  o   para um crescimento deste setor de atividade de 28% ao ano, a
          incremento da sua prospeção e exploração nos espaços maríti-  nível mundial, até 2020.
          mos. Nessa linha, o petróleo e o gás natural extraídos do mar
                                                               CONSIDERAÇÕES FINAIS

                                                                Naturalmente, a avaliação do valor económico do mar não se
                                                               deve cingir aos usos atuais, devendo incluir o imenso valor da sua
                                                               utilização vindoura. Neste âmbito, importa referir que o estudo
                                                               da OCDE mencionado no início deste artigo antecipa que o peso
                                                               da economia do mar possa mais do que duplicar até 2030, pas-
                                                               sando a corresponder a 3 biliões de dólares (3 000 000 000 000
                                                               dólares) e gerando cerca de 40 milhões de empregos diretos e
                                                               a tempo inteiro. Para isso contribuirão algumas utilizações que
                                                               ainda estão embrionárias mas que perspetivam elevada rentabi-
                                                               lidade. São essas utilizações que abordarei no artigo da próxima
                                                               edição, dedicado aos novos usos do mar.

                                                                                                   Sardinha Monteiro
                       Valor da economia do mar (projeção para 2030)                                        CMG


                                                                                                     MAIO 2017  5
   1   2   3   4   5   6   7   8   9   10