Page 5 - Revista da Armada
P. 5

REVISTA DA ARMADA | 520


          condições de mercado podem vir a fazer com que esta atividade
          se torne atraente e rentável a longo prazo, particularmente devido   Fonte hidrotermal.
          ao aumento da procura por minerais e metais (fruto do aumento
          da população e do crescimento económico) e à exaustão de alguns
          minérios em terra.
           Curiosamente, o maior obstáculo à exploração dos depósitos
          mineralíferos existentes nos espaços marítimos deriva dos impac-
          tos ambientais no fundo do mar e, em especial, nas fontes hidro-
          termais,  que  constituem  ecossistemas  únicos,  que  poderão  ser
          negativamente afetados pela mineração.

          BIOTECNOLOGIA AZUL

           Com efeito, as fontes hidrotermais albergam microrganismos
          capazes de crescer e reproduzir-se num ambiente completamente
          diferente de tudo aquilo que nos habituámos a associar à vida na
          Terra  (extremófilos),  abrindo  todo  um  novo  mundo  de  conheci-
          mento. Essas formas de vida conseguem viver sem depender da   investimento e criando sinergias. Por exemplo, enquanto a pla-
          fotossíntese, suportando a ausência de luz, bem como tempera-  taforma eólica poderá proporcionar o suporte infraestrutural
          turas e pressões extremamente elevadas, o que as torna preciosas   necessário à aquacultura, também a exploração eólica poderá
          para a engenharia biológica e genética. Entre outras características,   beneficiar de manutenção (que de outra forma não teria) por
          os microrganismos em apreço possuem enzimas que sobrevivem às   parte dos trabalhadores da exploração aquícola.
          altas temperaturas (ao contrário das convencionais, que morrem
          com facilidade), o que permite conduzir experiências a temperatu-  HIDRATOS DE METANO
          ras muito elevadas.
           No entanto, não é só nas fontes hidrotermais que a biologia mari-  Os hidratos de metano encontram-se no fundo do mar, albergando
          nha evidencia todo o seu esplendor. De facto, calcula-se que 80% dos   elevadas quantidades de metano, libertado, ao longo de milhões de
          organismos vivos só sejam encontrados nos ecossistemas aquáticos,   anos, por bactérias marinhas, no seu processo de digestão de maté-
          o que representa um mar de oportunidades para a biotecnologia   ria orgânica. A grandes profundidades (com elevadas pressões e bai-
          azul, abrindo novas portas no fabrico de produtos para as indústrias   xas temperaturas), esse metano associa-se com a água, formando
          farmacêutica, cosmética, alimentar, têxtil ou dos plásticos.  moléculas bastante semelhantes, na sua aparência externa, ao gelo.
           No âmbito da indústria farmacêutica, as áreas mais promissoras   Os hidratos de metano são os mais simples dos hidrocarbonetos,
          para a biotecnologia marinha são o desenvolvimento de tratamen-  possuindo mais de 50% de todo o carbono existente no planeta –
          tos contra o cancro e de novos fármacos. A este propósito, cabe aqui   um valor superior ao de todas as reservas de materiais fósseis, todos
          referir uma droga anticancerígena empregue na luta contra a leuce-  os seres vivos e todas as minas de carvão somadas.
          mia e o linfoma, bem como um fármaco anti-viral para o tratamento   Apesar do seu elevado teor calórico, os hidratos de metano ainda
          do herpes – ambos desenvolvidos com base em compostos naturais   não são exploráveis, por várias razões, nomeadamente por serem
          encontrados em esponjas marinhas.                   uma fonte de energia bastante poluente (emitindo largas quantida-
           Apesar da incerteza que sempre rodeia as projecções em áreas   des de dióxido de carbono) e por falta de tecnologia de extração.
          como esta, que se encontra ainda no início do seu processo de desen-  Isso faz com que a exploração económica dos hidratos de metano
          volvimento, a OCDE estimou que, em 2017, a biotecnologia marinha   não seja expectável antes de 2030. Contudo, a sua existência em
          pudesse gerar receitas de cerca de 4,6 mil milhões de dólares.  grande quantidade e o seu elevado teor calórico permitem conje-
                                                              turar que os hidratos de metano irão integrar o cabaz energético
          AQUACULTURA OFFSHORE                                do futuro.

           Nalgumas zonas costeiras, a competição por espaço disponível   CONSIDERAÇÕES FINAIS
          para pisciculturas já está a constituir um problema, pelo que se
          está a acentuar a tendência para ocupar zonas mais afastadas   Os dados apresentados sobre os usos futuros do mar mostram
          de costa. Todavia, a aquacultura offshore ainda requer alguma   a importância crescente do mar em termos económicos. A essa
          investigação, dado implicar tecnologia mais avançada, que per-  vertente, há que acrescentar o papel do mar como estabilizador
          mita suportar condições meteo-oceanográficas desfavoráveis em   e regulador do clima, tornando-o essencial ao equilíbrio susten-
          oceano aberto.                                      tável do planeta. Além disso, acresce ainda a sua importância bio-
           De qualquer maneira, é possível desenvolver sinergias entre a   lógica (fruto da enorme diversidade de formas de vida existentes
          aquacultura offshore e a exploração da energia eólica ao largo,   nos oceanos) e sócio-cultural (intrinsecamente ligada à elevada
          combinando  as  duas  atividades  numa  mesma  infraestrutura.   percentagem da população mundial que vive junto ao mar, com
          Neste momento, a cultura de peixes em plataformas oceânicas   naturais reflexos no pensamento e nos hábitos dessas pessoas).
          de energia eólica não está consolidada, apenas havendo alguma   Naturalmente, tudo isso levará também a que o mar se constitua
          experiência (embora reduzida) com a co-localização de produção   cada vez mais como um palco de conflitos de interesses e de com-
          de bivalves nas plataformas eólicas. Não obstante, como normal-  petição, incrementando a sua importância geopolítica e geoestra-
          mente os parques eólicos estão vedados à navegação mercante   tégica no futuro e indiciando que o século XXI possa vir a ser o
          e à pesca comercial, é expectável que ofereçam boas condições   século do mar!
          para a aquacultura. Além disso, uma integração deste tipo permi-                                    
          tirá a exploração da mesma plataforma tecnológica para dois fins:                        Sardinha Monteiro
          produção aquícola e captação de energia eólica, potenciando o                                     CMG


                                                                                                    JULHO 2017    5
   1   2   3   4   5   6   7   8   9   10