Símbolos e Tradições

Os símbolos e as tradições constituem referências inalienáveis para a Marinha, nos quais se alicerça a sua ação ao longo dos mais de nove séculos ao serviço de Portugal.
« Voltar

​Em resultado da ação do Infante D. Henrique (1394-1460) em prol dos descobrimentos e da expansão portuguesa no século XV, Sagres é o local onde, por definição, se encontra ancorada a maritimidade nacional, razão pela qual o navio-escola da Marinha ostenta aquele nome.


Face à carga simbólica e mítica daquele promontório, os navios da Marinha em viagem de instrução com cadetes da Escola Naval prestam homenagem ao Infante D. Henrique à passagem pelo local. Com a guarnição formada para o efeito, é proferida uma alocução alusiva à forma como os princípios, a determinação e os feitos dos Marinheiros portugueses projetaram Portugal para um dos períodos áureos da sua história.


Em resultado da sua enorme carga simbólica, o NRP Sagres ostenta todos os grandes atributos da maritimidade nacional: o nome (Sagres), a figura de proa (Infante D. Henrique) e o símbolo nas velas (Cruz de Cristo). Pelos relevantes serviços prestados a Portugal e à Marinha em mais 50 anos, o NRP Sagres é também o navio mais condecorado, ostentando as insígnias no estandarte nacional e no brasão de armas: Medalha da Ordem Militar de Cristo (2012), Medalha da Ordem do Infante D. Henrique (1984) e Medalha Naval de Vasco da Gama (2007).