Meios

Os meios da Marinha baseiam-se na ideia do equilíbrio, sustentada coerentemente na diversidade de capacidades, permitindo fazer face aos múltiplos desafios colocados por uma envolvente internacional muito dinâmica e imprevisível. Desta forma, o meios da Marinha visam manter um equilíbrio de capacidades, evitando uma especialização excessiva que levaria ao abandono de valências, essenciais à afirmação dos interesses nacionais no mar.
« Voltar
Home » Meios e Operações » Meios » Helicópteros
Helicópteros
Helicópteros
Helicópteros
Helicópteros
Helicópteros
Helicópteros
Helicópteros
Galeria de Imagens

 

 Content Editor

 
Características
Peso Máximo à descolagem 5126 Kg
Autonomia 2h10m
Nr. Máximo de Passageiros 7
Velocidade Máxima 160 Kts
Velocidade Cruzeiro 120 Kts
Tripulação
Oficiais 2
Sargentos/Praças 1
Total 3
Armamento
Torpedos
Metralhadora pesada

O Lynx Mk95 foi adquirido pelo Estado Português em 1993 para operar a partir das fragatas da classe Vasco da Gama como extensão das armas e sensores destes navios. É um helicóptero de elevada performance e características versáteis que lhe permitem cumprir tarefas num largo espetro de missões, cobrindo áreas desde a l luta anti-submarina, luta anti-superfície, interdição marítima, combate à pirataria, evacuações médicas, transporte logístico e busca e salvamento.

Os seus 5 helicópteros, Westland Lynx Mk95, foram desenhados especificamente para operar a partir das fragatas classe Vasco da Gama, operando também a partir da classe Bartolomeu Dias

A Esquadrilha de Helicópteros é uma Unidade da Marinha Portuguesa constituída por 130 militares que tem por missão aprontar helicópteros, respetivas tripulações e equipas de manutenção com vista à constituição dos destacamentos a embarcar nos navios.

Em abril de 2013, a Esquadrilha de Helicópteros da Marinha Portuguesa atingiu a marca de 20.000 horas de voo.

Das 20.000 horas voadas, grande parte foram efetuadas a bordo das fragatas da classe Vasco da Gama, do navio reabastecedor Bérrio e, mais recentemente, também das fragatas da classe Bartolomeu Dias, tendo participado em diversas operações nacionais e internacionais, nomeadamente na(s):

  • Operação de embargo à Sérvia-Montenegro (Operação “Sharp Guard” - 1995-96);
  • Operação de resgate de cidadãos nacionais e estrangeiros na Guiné Bissau (Operação “Crocodilo” - 1998);
  • Operação de apoio às populações de Timor-Lorosae (Operação “Timor-Lorosae” - 2000);
  • Operação de combate ao terrorismo no Mar Mediterrâneo (Operação “Active Endeavor” – desde 2002);
  • Operação de apoio às populações da Ilha da Madeira (aluvião de 2010);
  • Operações da União Europeia e da NATO de combate à pirataria ao largo da costa da Somália (Operação “Atalanta” e Operação “Allied Protector” e “Ocean Shield” – desde 2009).