Fragatas

Navios de 1.500 a 5.000 toneladas de deslocamento e comprimento entre 75 e 150 metros, possuem armamento anti-superfície, antiaéreo e anti-submarino, e são por natureza escoltas oceânicos, embora sejam navios de grande capacidade e versatilidade.
« Voltar
Home » Meios e Operações » Meios » Navios » Fragatas » NRP Álvares Cabral
NRP Álvares Cabral
NRP Álvares Cabral
NRP Álvares Cabral
NRP Álvares Cabral
NRP Álvares Cabral
NRP Álvares Cabral
NRP Álvares Cabral
Galeria de Imagens

Classe Vasco da Gama

 

 Content Editor

 
Características
Comprimento 115,9m
Boca Máxima 14,2m
Deslocamento 3200t
Calado 6,2m
Propulsão
Vel. Máx. Motores Diesel 20 nós
Vel. Máx. Turbinas Gás 32 nós
Vel. Máx. Propulsão Cruzada 24 nós
Guarnição
Oficiais 20
Sargentos 40
Praças 109
Total 169
Destacamento de Helicóptero 19
Armamento
Peça de artilharia de 100mm
2x4 mísseis NATO SEA SPARROW (curto alcance de defesa antiaérea)
2x4 mísseis HARPOON (longo alcance)
2x3 reparos de tubos lança torpedos MK46
Sistema de defesa antimíssil e superfície (CIWS VULCAN-PHALANX)
Metralhadoras pesadas de 12,7 mm
Helicóptero Westland Lynx Mk95
Equipamentos
Radar de aviso combinado de médio alcance DA08
Radar de médio/curto alcance MW08
Radares de controlo de tiro STIR
Sistema de guerra eletrónica APECS II
Sistema de contramedidas antimíssil SRBOC
Sonar de médio alcance AN/SQS 510
Lançamento à água: 06-Jun-1990
Entrada ao serviço: 04-Mai-1991
Brasão de Armas

Brasão de armas

Escudo de prata, com duas cabras de púrpura uma sobre a outra. Coronel naval de ouro forrado de vermelho, sotoposto listel de prata ondulado com a legenda em letras negras, maiúsculas, tipo elzevir – NRP ÁLVARES CABRAL.

 

Patrono

PATRONO

Pedro Álvares Cabral, descobridor do Brasil, nasceu em Belmonte, entre 1460 e 1470, filho de Fernão Cabral e de D. Isabel Gouveia. Foi moço fidalgo de D. João II, que o agraciou com uma tença de 13000 reais, vindo posteriormente a casar-se com D. Isabel de Castro, sobrinha de Afonso de Albuquerque.

Em 1500, após o regresso de Vasco da Gama, Pedro Álvares Cabral foi designado pelo Rei D. Manuel I para comandar 13 naus, tripuladas por cerca de 1500 homens, em missão diplomática ao Oriente, onde deveria estabelecer um pacto de amizade com o Samorim de Calecut.

A partida deu-se a 8 de Março de 1500 e, a 22 de Abril do mesmo ano, após uma breve escala nas Canárias, é avistada a costa brasileira, da qual já havia sinais desde a véspera, na zona do Monte Pascoal, e a esquadra lança ferro junto da foz do atual Rio Cahy após cerca de 6500 km percorridos. Nos dias que se seguem a esquadra muda de ancoradouro, indo fundear mais a Norte, numa baía que os portugueses denominaram Porto Seguro onde ergueu uma cruz de madeira, símbolo da cristandade que os portugueses viriam a levar aos quatro cantos do Globo, junto do Rio Mutary. Entretanto, logo após a chegada da Armada à Terra de Santa Cruz, nome inicialmente dado ao Brasil, Pedro Álvares Cabral envia a nau comandada por Gaspar Lemos com as boas novas rumo a Portugal.

Em 1502, o Rei faz menção de o enviar no comando de nova Armada ao Oriente, mas Pedro Álvares Cabral recusou a missão, preferindo retirar-se para a tranquilidade das suas propriedades em Santarém, onde vem a falecer cerca de 1502. O seu corpo  jaz na Igreja da Graça, em Santarém.​

Factos

No âmbito de contributo de Portugal para garantir a segurança marítima internacional, o NRP Álvares Cabral tem participado em diversas operações no âmbito da NATO e UE,  de salientar:

  • Operação da NATO "Active Endeavour" de combate ao Terrorismo no Mediterrâneo;
  • Operação da NATO "Ocean Shield" de combate à pirataria na região do Corno de África;
  • Operação da UE  "Atalanta", de combate à pirataria na Somália;
  • Diversas participações no Operational Sea Training (OST), no Reino Unido, de certificação da operacionalidade para combate.