Lanchas

Navio de pequeno deslocamento (menos de 200 toneladas) e comprimento inferior a 35 metros, com armamento reduzido, destinadas a missões de segurança e autoridade do Estado no mar.
« Voltar
Home » Meios e Operações » Meios » Navios » Lanchas » NRP Águia
NRP Águia
NRP Águia
NRP Águia
NRP Águia
Galeria de Imagens

Classe Albatroz

 

 Content Editor

 
Características
Deslocamento 43,5t
Comprimento 21,9m
Boca Máxima 5,3m
Calado 1,9m
Propulsão
Velocidade Máxima 14nós
Guarnição
Oficiais 1
Sargentos 1
Praças 6
Armamento e sensores
Armamento portátil diverso
1 radar de navegação Furuno 1510 MK2
Equipamento diverso
Aladador de redes 3000kg
Entrada ao serviço: 28-Fev-1975
Brasão de Armas

Flâmula Heráldica

Flâmula bandada de quatro peças de prata e vermelho, a primeira banda carregada com uma águia de vermelho com as asas adorsadas e levantadas, animada, abicada, lampassada, e armada de azul. Sobreposto à partição das bandas, um listel de prata, filetado de vermelho sobre o prata, com a legenda em letras negras maiúsculas, de tipo elzevir, NRP ÁGUIA.

PATRONO

As seis lanchas da classe Albatroz foram batizadas com o nome de aves. Águia é o nome dado a algumas aves de rapina, geralmente de grande porte, carnívoras e de grande acuidade visual.

Factos

O NRP Águia é o quarto de uma série de seis navios construídos no Arsenal do Alfeite, que em conjunto constituem a classe Albatroz. O NRP Águia foi aumentado ao efetivo em 28 de fevereiro de 1975. O NRP Águia, em conjunto com o NRP Cisne são os dois únicos navios da classe que continuam no ativo.

Esta lancha de fiscalização desempenha missões  no âmbito das funções de segurança e autoridade do Estado nos espaços marítimos sob jurisdição nacional, em Portugal continental.

Do vasto número de missões atribuídas, salientam-se as tarefas executadas no âmbito da busca e salvamento marítimo, do patrulhamento e fiscalização dos espaços marítimos, repressão de ilícitos marítimos (tais como narcotráfico e imigração ilegal) em estreita colaboração com outros agentes do Estado, e apoio no combate à poluição marítima.

Durante o ano de 2003 o navio sofreu uma importante alteração na sua estrutura, tendo substituído a peça de 20mm por um alador com capacidade até três toneladas, sendo que em missão de patrulha e fiscalização de espaços marítimos, a principal missão é a alagem de artes mal sinalizadas e caladas em locais proibidos ou que constituem perigo para a navegação.

​​​​​