Patrulhas Oceânicos

Os navios patrulha oceânicos são navios com um deslocamento entre as 750 e as 2000 toneladas utilizados, prioritariamente, em ações não combatentes. As principais missões são de segurança e autoridade do Estado, e missões de interesse público. São navios com grande capacidade de operar em alto mar, e de enfrentar condições de mar adversas, e possuem uma autonomia considerável, o que lhes permite permanecer no mar, em missão, durante largos períodos sem necessidade de apoio logístico.
« Voltar
Home » Meios e Operações » Meios » Navios » Patrulhas Oceânicos » NRP Viana do Castelo
NRP Viana do Castelo
NRP Viana do Castelo
NRP Viana do Castelo
NRP Viana do Castelo
NRP Viana do Castelo
NRP Viana do Castelo
NRP Viana do Castelo
Galeria de Imagens

 

 Content Editor

 
Características
Deslocamento 1850t
Comprimento 83,1m
Boca Máxima 12,95m
Calado 3,82m
Propulsão
​Velocidade Máxima 21nós​
Guarnição
Oficiais 6
Sargentos 9
Praças 27
Total 42
Armamento
1 Peça de artilharia Oto Melara 30 mm
1 Sensor Eletro-ótico SAGEM/VIGY
2 Radares de navegação KH Manta2000
Lançamento à água: 01-Out-2005
Aumentado ao efetivo: 30-Dez-2010
Entrada ao serviço: 30-Mar-2011
Brasão de Armas

Brasão de armas

Escudo de vermelho com castelo de prata realçado, aberto e fenestrado de negro. Torre central rematada por um braço armado de prata com mão de carnação empunhando uma espada de prata, com duas vieiras de ouro nos cantões do chefe. Coronel naval de ouro forrado de vermelho. Sotoposto listel ondulado de prata com a legenda em letras negras maiúsculas, tipo elzevir, «N.R.P. VIANA DO CASTELO»..

 


Patrono

PATRONO

Viana do Castelo, cidade desde 1848 e vila desde 1258, teve origem num aglomerado agro-piscatória na margem direita da foz do Rio Lima, descendente dos povoados castrejos dos montes circundantes, particularmente, do de Santa Luzia, onde se conservam restos de um castro.

O objectivo do foral de D. Afonso III foi o de criar um aglomerado urbano, de expressão mercantil marítima, junto à foz do Lima.

No século XV construiu-se intra-muros uma nova igreja, dedicada a Santa Maria Maior, depôs a igreja do Salvador, tornando-se Matriz (actual Sé). De Viana partiu João Álvares Fagundes à descoberta das terras do Noroeste Atlântico e, como ele, outros navegadores e militares, para o Brasil e para a Índia.

De Viana, era o Capitão do Porto Seguro Pêro do Campo Tourinho. E foi pela épica resistência às tropas da Patuleia que a Rainha D. Maria II elevou Viana a cidade, por carta régia de 20 de Janeiro de 1848, afectando-lhe ao nome o monumento mais simbólico do seu passado e do seu valor: e Viana da foz do Lima passou a ser, definitivamente, Viana do Castelo.

Factos

  • Navio particularmente vocacionados para atuar na zona económica exclusiva nacional desenvolvendo as seguintes tarefas:
    • Busca e salvamento Marítimo;
    • Fiscalização da pesca;
    • Controlo dos esquemas de separação de tráfego;
    • Prevenção e combate à poluição marinha;
    • Prevenção e combate a atividades ilegais como o narcotráfico, imigração ilegal, tráfico de armas e outros ilícitos, em colaboração com outras autoridades nacionais.
    •  
  • Para além das tarefas referidas, estes navios têm capacidade para cooperar em:
    • Operações militares de baixa intensidade;
    • Ações decorrentes da promulgação do estado de sítio ou emergência;
    • Apoio humanitário na sequência de desastre natural;
    • Patrulha das águas territoriais e áreas críticas visando a manutenção da liberdade de utilização das águas e portos nacionais;
    • Efetuar lançamento de minas em campos defensivos;
    • Efetuar o transporte de forças militares de pequena dimensão.
​​​​​