Reabastecedor

Navio com deslocamento entre 5.000 e 25.000 toneladas e com um comprimento entre os 40 e os 200 metros, destinado a garantir a sustentabilidade logística de uma Força Naval no mar, quer em combustível, água, alimentos, sobressalentes, munições, entre outros.
« Voltar
Home » Meios e Operações » Meios » Navios » Reabastecedor » NRP Bérrio
NRP Bérrio
NRP Bérrio
NRP Bérrio
NRP Bérrio
NRP Bérrio
NRP Bérrio

 

 Content Editor

 
​​
Características
Comprimento 140,6m
Boca Máxima 19,2m
Deslocamento 11522t
Calado 7,3m
Propulsão
​Velocidade Máxima 16nós​
Autonomia 15000mi (15nós)
Guarnição
Oficiais 9
Sargentos 13
Praças 71
Total 71
Armamento
Artilharia 2 Peças 20mm Oerlikon12
Lançamento à água: 11-Nov-1969
Entrada ao serviço: 31-Mar-1993
Brasão de Armas

Brasão de armas

Escudo de prata, com uma banda de negro acompanhado de uma águia, do mesmo negro, em chefe. Coronel naval de oiro, forrado de vermelho. Sotoposto listel em prata com a inscrição em letras negras tipo elzevir NRP BERRIO.

PATRONO

O NRP Bérrio herdou o nome de uma das caravelas da frota de Vasco da Gama quando este descobriu o caminho marítimo para a Índia. Chamou-se "Bérrio", por ter sido comprada a D. Manuel Bérrio, um piloto natural de Lagos muito considerado no reinado de D. Manuel. Realça-se que a Bérrio foi a primeira caravela da frota de Vasco da Gama a chegar a Lisboa, a 10 de Julho de 1499, com a notícia da descoberta do caminho marítimo para a Índia.​

Factos

  • Nº de milhas percorridas: 181 277 milhas (equivalente a oito voltas ao mundo);
  • Nº de Horas de navegação: 17 806h horas de navegação;
  • 742 dias no mar (quase 2 anos ininterruptos no mar);
  • Participou em diversos teatros de operações e missões no âmbito do apoio à política externa do Estado, nomeadamente:
  • Apoio logístico a diversas Forças Navais nacionais ou aliadas;
  • Navio fundamental para a sustentação de uma Força Naval no mar;
  • De entre as missões realizadas realçam-se:
    • Operação "Sharp-Guard" no Mar Adriático, em 1995;
    • Operação humanitária na República da Guiné-Bissau, em 1998;
    • Operação Manatim, em 2012, pronto para evacuar da Guiné-Bissau cidadãos nacionais e de países amigos;
    • Por rotina, participa em exercícios nacionais e internacionais, sendo fundamental para o treino e aprontamento de outras unidades navais.​