Centros

O Centro de Operações Marítimas e os Centros e sub-centros de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo, de Lisboa, Ponta Delgada e Funchal, constituem duas das valências que a Marinha dispõe no âmbito do Comando, controlo e Apoio. Conheça as importantes missões que desenvolvem.
« Voltar
Home » Meios e Operações » Comando e Apoio » Centros » Busca e Salvamento

No âmbito da Convenção Internacional sobre Busca e Salvamento Marítimo, de 1979, foi estabelecido um plano internacional de busca e salvamento, capaz de dar resposta às necessidades de assistência a pessoas em perigo no mar, tendo Portugal assumido as suas responsabilidades, no âmbito nacional e internacional, através da edificação do Sistema Nacional para a Busca e Salvamento Marítimo dirigido pelo Ministro da Defesa Nacional.
 
No sistema nacional, o Serviço de Busca e Salvamento Marítimo funciona no âmbito da Marinha, e é responsável pelas ações relativas aos acidentes que ocorram com navios ou embarcações, mantendo em funcionamento uma estrutura de meios humanos, materiais, e de sistemas tecnológicos, capazes de providenciar uma resposta a qualquer ação de busca e salvamento marítimo, nas áreas de responsabilidade nacional. 
 
Este serviço, que funciona 24 horas por dia, sete dias por semana, é essencialmente materializado através dos Centros de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo (Maritime Rescue Coordination Centre - MRCC) de Lisboa e Ponta Delgada, e pelo Sub-Centro de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo do Funchal (MRSC, Maritime Rescue Sub-Centre), e no mar, por um quantitativo variável de Unidades Navais da Marinha, atribuídas quer em permanência, quer em reserva, e ao longo de toda a costa portuguesa, através das 31 Estações Salva-Vidas do Instituto de Socorros a Náufragos, debaixo da alçada dos Capitães dos Portos.
 
Nesta missão, que é a de salvar vidas humanas, a Marinha conta com o apoio de outros departamentos do Estado, que contribuem, de sobremaneira, para o sucesso destas ações, nomeadamente:
 
  • Da Força Aérea Portuguesa, que disponibiliza meios aéreos, helicópteros e aeronaves de asa fixa, em apoio às operações de busca e salvamento no mar;
  • Das Administrações Marítimas e Portuárias, através dos centros de controlo de tráfego marítimo do Continente e portuários, com a disponibilização de informação relativa aos panoramas marítimos e mantendo escuta nas frequências de alerta e socorro utilizadas no mar;
  • Do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), que através do Centro de Orientação de Doentes Urgentes no Mar (CODU-Mar), disponibiliza em permanência um serviço de aconselhamento médico a toda a comunidade marítima;
  • Do Serviço Nacional de Bombeiros, através das corporações de bombeiros, com meios próprios e com embarcações e meios de salvamento atribuídos pelo Sistema da Autoridade Marítima;
  • Das Associações e organizações ligadas ao sector das atividades marítimas que, sempre que necessário, disponibilizam informações que apoiam as operações de busca e salvamento marítimo;
  • Da Polícia de Segurança Pública, com tripulações em ambulâncias do Instituto Nacional de Emergência Médica;
  • Da Cruz Vermelha Portuguesa, com ambulâncias e apoio médico;
  • Da Direcção-Geral da Saúde, com apoio médico e hospitalar;
  • Da Autoridade Nacional de Proteção Civil, que disponibiliza os seus helicópteros em apoio às operações de busca e salvamento junto à costa de Portugal Continental;
  • Da ANA - Aeroportos e Navegação Aérea, E. P.;
  • Da Guarda Nacional Republicana.

 

Decorrente da necessidade do conhecimento profundo da dinâmica dos oceanos para as ações de busca e salvamento, só possível através do desenvolvimento de estudos científicos de elevada complexidade, importa salientar o apoio essencial do Instituto Hidrográfico no desenvolvimento de modelos numéricos de previsão de deriva, indispensáveis para a localização de náufragos, através da rede de observação de boias ondógrafo ao longo de toda a costa portuguesa, do desenvolvimento de modelos de previsão da agitação marítima e da monitorização das correntes de superfície e de agitação marítima por via de radar.

 

 

 

 Emergência no Mar
 

 

Factos

  • A área de responsabilidade nacional de busca e salvamento marítimo totaliza cerca de 6.000.000 Km2, o que equivale a 63 vezes a área terrestre, nacional;
  • A taxa de sucesso anual do serviço nacional de busca e salvamento marítimo situa-se em média entre os 96% e os 98%, distinguindo-se como um valor de referência a nível mundial;
  • Só entre 2010 e 2012 foram salvas 2031 vidas e coordenadas 1937 ações de busca e salvamento no mar;
  • A Marinha mantém em alerta permanente 24/7, no mar e em terra, meios humanos e materiais adequados para darem a resposta eficaz a qualquer pedido de socorro no mar;
  • 98 em cada 100 pessoas vitimas de incidente no Mar Português são salvas.