Page 8 - Revista da Armada

 

 

 

 

 

Page 8 - Revista da Armada
P. 8

REVISTA DA ARMADA | 524
          NRP DOURO
































          O NOSSO MAIS RECENTE NAVIO




             sol nasceu tímido naquela típica manhã de primavera. Uma   palavra, o Comandante Naval reconheceu o esforço efetuado na
         O leve brisa ondeava as inúmeras Bandeiras Nacionais arvo-  preparação do navio e exortou-nos na sua continuação; muito
          radas nos navios atracados na Base Naval de Lisboa. Tirando as   havia ainda por fazer e o aprontamento do navio, necessário para
          nuvens escuras a norte, que ameaçavam uns pingos, o dia 12 de   garantir  a  renovação  da  capacidade  de  patrulha  e  fiscalização
          maio de 2017 não poderia ter começado melhor.       costeira, era uma das suas prioridades. Procedeu-se à leitura dos
           Desde cedo, nós que seríamos a sua primeira guarnição, ulti-  despachos de Passagem ao Estado de Armamento Completo e
          mávamos os preparativos para o tão aguardado dia. Fazia quase   Normal e de Nomeação do Comandante do Navio.
          dois anos que o Raven, como se chamava anteriormente o nosso   Após a entrega da Bandeira Nacional pelo Comandante Naval
          navio, tinha entrado pela primeira vez o Tejo. A preparação foi   ao Comandante do Navio, entrámos a bordo ao som da “Marcha
          longa e muitos de nós acompanhámos o seu projeto desde o iní-  dos Marinheiros”. Formados na tolda e ao som do Hino Nacio-
          cio. Naquele dia, atracado no cais de honra, airoso e altivo, o NRP   nal,  pela  primeira  vez  prestamos  honras  ao  içar  da  Bandeira
          Douro receberia a nossa Bandeira Nacional.          Nacional.
           A manhã decorreu sem novidade e após conferidos todos os   Terminada  a  cerimónia,  o  Comandante  Naval  foi  recebido
          preparativos e com as listas de verificações revistas, treinámos   a bordo tendo sido servido um Porto de Honra; de copo bem
          com rigor toda a cerimónia. Nada foi deixado ao acaso. Antes   erguido, brindámos, com as salvas artilheiras, ao futuro do NRP
          de almoço, tudo estava pronto. Todos nós sabíamos que 90% do   Douro. Na câmara de oficiais, foi assinado o Livro de Honra do
          sucesso reside nos preparativos.                    Navio, desejando que o seu nome “seja sempre sinónimo de mis-
           Às 13h15 começaram a chegar os primeiros convidados. Brio-  sões cumpridas e orgulho Português”.
          sos, formados no cais em frente ao nosso navio, aguardávamos   No final do dia não poderíamos estar mais orgulhosos, havia
          com expetativa. O Comandante Naval, VALM Gouveia e Melo,   mais uma Bandeira Nacional içada na Base. A tirada ainda seria
          que nos deu a honra de presidir à cerimónia da Passagem ao   longa, mas o vento e o mar começavam a ficar de feição, com o
          Estado  de  Armamento  Normal,  chegou  às  14h00.  No  uso  da   rumo bem traçado chegaríamos a bom porto.


          A PRIMEIRA MISSÃO




             pós ter passado ao estado de armamento e lotação normal,   do  Estado-Maior  da  Armada  e  Autoridade  Marítima  Nacional
         Ao NRP Douro cumpriu o seu Plano de Treino Específico de 28   (CEMA  e  AMN),  Almirante  António  Silva  Ribeiro,  a  determinar
          de junho a 7 de julho.                              que a primeira missão fosse a apresentação à Cidade do Porto
           Ultrapassado o processo de modernização prevista no Projeto   e realização de uma singela cerimónia com o navio atracado na
          STANFLEX 300, e sentida a necessidade premente de agilizar a   Ribeira, contribuindo para a aproximação da Marinha aos Portu-
          afetação do navio ao dispositivo naval padrão, foi cumprido um   gueses.
          exigente treino de duas semanas, no fim do qual foi o navio con-  Acertados os pormenores, a cerimónia ficou marcada para o
          siderado pronto.                                    final do dia 15 de julho de 2017. Após largar da Base Naval de
           A relação de identidade do navio com o rio Douro levou o Chefe   Lisboa no dia 14, de modo a entrar com a maré na manhã de 15


          8   DEZEMBRO 2017
   3   4   5   6   7   8   9   10   11   12   13