Dia da Marinha: Mensagem do Chefe do Estado-Maior da Armada
Notícia

Portal da MarinhaPortuguês (Portugal)Media CenterNotíciasDia da Marinha: Mensagem do Chefe do Estado-Maior da Armada

20 de maio de 2021, 07:00

​​​​​​

Militares, Militarizados e Civis da Marinha,
​​
Dirijo a todos vós uma calorosa saudação, nesta data festiva em que celebramos o Dia da Marinha 2021! 
Saúdo de forma especial todos aqueles que, no mar e em terra, cumprem abnegadamente a Missão da Marinha, destacando as guarnições dos navios em missão e os militares integrados em Forças Nacionais Destacadas, bem como todos os que servem na linha da frente do combate à pandemia da COVID-19 ou que participam em missões no âmbito da Cooperação no Domínio da Defesa.
Saúdo, também, todos os membros da família naval, assim como as associações, núcleos e grupos de ex-militares, constituídas por marinheiros e fuzileiros que serviram e honraram a Pátria na Marinha.
Espero que esta mensagem vos encontre a todos bem!

Pelo segundo ano consecutivo, vimo-nos forçados, em consequência da situação excecional causada pela pandemia, a cancelar todas as atividades públicas associadas às comemorações do Dia da Marinha.
Esta foi uma decisão difícil, ditada pelo objetivo maior de focarmos a nossa atenção na segurança dos envolvidos. Estou certo que todos a compreenderão, confiando que, num futuro não muito distante, voltaremos a abrir a Marinha à sociedade, divulgando o que de melhor fazemos com o objetivo de garantir que Portugal usa o seu Mar.
No entanto, apesar do cancelamento das atividades públicas, não pode a Marinha deixar de assinalar o seu dia, adaptando as celebrações às condições permitidas pela conjuntura atual da pandemia.
No decurso do último ano, os desafios colocados pela situação de emergência global obrigaram a um enorme esforço para assegurar a capacidade de aprontar meios e sustentar as operações. 
Aqui, reconheço publicamente o contributo de todos para enfrentar e dar resposta aos novos desafios, fator determinante para cumprirmos, com sucesso, as nossas missões.
Destas, saliento o contributo da Marinha para as Forças Nacionais Destacadas, em particular nos muito exigentes comandos nacionais do Standing NATO Maritime Group 1 e da EUNAVFOR Somalia da União Europeia, bem como nas missões Mar Aberto e de capacitação da Guarda-Costeira de São Tomé e Principe, contribuindo para a segurança marítima no Atlântico.
Saliento, igualmente, a participação decisiva da Marinha no contributo das Forças Armadas para o esforço nacional de combate à pandemia, em especial no reforço da capacidade médica e no apoio logístico ao Hospital das Forças Armadas, mas, também, no acolhimento e tratamento de doentes, na descontaminação de centros de saúde, lares, estabelecimentos prisionais e escolas, na distribuição de alimentação a pessoas sem-abrigo, no alojamento de profissionais de saúde civis, no rastreamento de contactos e no planeamento da campanha de vacinação. 

O pessoal envolvido em todas estas tarefas, incluindo um conjunto assinalável de militares na situação de reserva convocados à efetividade de serviço, mostrou elevadíssimo sentido de serviço e um profundo espírito de sacrifício, em prol do bem comum, que a todos nos deve inspirar.
Por isso, a todos e a cada um, o meu profundo reconhecimento!
Não posso, igualmente, deixar de endereçar uma palavra de pesar a todos aqueles que viram partir alguém querido nesta pandemia que a todos nos ataca.
Estamos, agora, a retomar a uma certa normalidade interna, pois algumas atividades da Marinha foram, naturalmente, afetadas, obrigando a desenvolver formas inovadoras e mais seguras de atuar, para que Portugal nunca deixasse de se cumprir no mar.
A evolução da situação nacional, associada ao aumento de confiança que resulta do processo de vacinação, permitem-nos um olhar de esperança sobre o futuro, sem, com isso, descurar a rigorosa observância dos comportamentos de autoproteção.
Neste Dia da Marinha, quero, na qualidade de Autoridade Marítima Nacional, saudar, também, todos os que servem nas estruturas da Direção-Geral da Autoridade Marítima e na Polícia Marítima. 
Os resultados alcançados ao longo do último ano, em particular na complexa e exigente época balnear de 2020, são, também, produto das sinergias existentes entre a Marinha à Autoridade Marítima Nacional e do trabalho conjunto das duas instituições na garantia da segurança de todos os que usam o mar, em trabalho ou em lazer, na preservação dos nossos recursos marinhos e da sustentabilidade dos oceanos.
Estou convicto que este principio, inerente à rentabilização de recursos e partilha de conhecimento, será um fator determinante nesta época balnear que agora se inicia.
​Militares, Militarizados e Civis da Marinha,
Aprovei recentemente a Revisão de 2021 da Diretiva Estratégica da Marinha, a qual mostrou que as orientações e os objetivos estratégicos formulados em 2018 se mantêm válidos e adequados.
Complementarmente, ficou evidente a importância de responder, com inovação, aos grandes desafios e oportunidades da sociedade contemporânea, como a sustentabilidade ambiental e a transição digital. 
Dentro deste quadro, gostaria de destacar três prioridades para o futuro:
A primeira é o aumento da capacidade de retenção, diminuindo o número de saídas de pessoal, pois, quando algum de nós abandona as fileiras, a Marinha fica mais pobre. Para tal, importa reforçar as condições para que as pessoas se sintam plenamente realizadas, motivadas e recompensadas para continuarem a servir Portugal na Marinha!
A segunda é a recuperação dos padrões de prontidão operacional, através do incremento da disponibilidade dos nossos navios e do reforço do treino, de forma a potenciar os níveis de desempenho e de segurança. 
A terceira é a consolidação da inovação da Marinha, para melhor enfrentar o quadro atual de contínua aceleração da mudança, particularmente percetível no ambiente de segurança e defesa. 
O plano de navegação agora revisto assenta numa estratégia de continuidade para construirmos a Marinha do futuro.
Neste âmbito, destaco o estímulo que constitui a entrada ao serviço, até ao final do presente ano, de meios que foram objeto de modernizações de meia-vida, em particular a fragata Bartolomeu Dias e os helicópteros Lynx Mk-95A. A par com o processo de aquisição dos seis Navios de Patrulha Oceânicos da 3.ª série, cujo procedimento administrativo está em curso, e a procura de soluções para a substituição do reabastecedor de esquadra, estes são projetos estruturantes do Programa de Renovação da Esquadra.
No domínio do empenhamento de forças, saliento o retomar do empenhamento de Forças de Fuzileiros na República da Lituânia, no âmbito das medidas de tranquilização da NATO nos países Bálticos, e do embarque de mergulhadores em unidades navais aliadas, no âmbito das Forças Navais Permanentes da Aliança. Estas são oportunidades de excelência para reforçar o prestígio de Fuzileiros e Mergulhadores como unidades de elevado valor operacional da nossa Marinha.
Neste Dia da Marinha – honrando o exemplo de Vasco da Gama, na data da sua chegada a Calecute, há precisamente 523 anos –, exorto-vos a unir esforços e enfrentar o futuro com confiança renovada, aliada à competência, à determinação e ao brio marinheiro que caracterizam todos os que servem Portugal na Marinha.
Só desta forma conseguiremos alcançar o sucesso no cumprimento da nossa missão, tal como os portugueses esperam e Portugal nos exige!
Viva a Marinha!!!

António Maria Mendes Calado
Almirante

Mensagem disponível em vídeo.​


Partilhar

Conteúdo