O maior exercício de robótica continua a decorrer
Notícia

Portal da MarinhaPortuguês (Portugal)Media CenterNotíciasO maior exercício de robótica continua a decorrer
Veja as imagens que marcaram os últimos dias no REPMUS 22.

21 de setembro de 2022, 18:14

Meios não tripulados participam operações noturnas em Troia

Vários meios aéreos não tripulados (UAV - Unmanned Aerial Vehicles) descolaram a noite passada da pista do Centro de Experimentação Operacional da Marinha (CEOM) em Troia. O objetivo foi apoiar uma missão anfíbia (do mar para a terra), com a tomada de ponto de interesse junto à praia.

Estiveram igualmente presentes na operação o UAV CAMPCOPTER (da Shiebel) e o UAV ALPHA 900 (da Alpha).


Meios não tripulados participam operações noturnas em Troia

Mergulhadores da Marinha apoiam INES TEC em projeto inovador (K2D)

Uma equipa de Mergulhadores da Marinha e uma equipa de técnicos do Instituto de Engenharia de Sistemas de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC) lançaram ao mar um ROV (Remotely Operated Vehicle) para testar a recolha de dados para localização de veículos submarinos.

Um ROV é um veículo subaquático, controlado remotamente. Permite a observação do fundo do mar e estrutura submarina. 

Nestas imagens, os mergulhadores da Marinha estão a apoiar a equipa do INESC TEC, ao colocar um protótipo de um "nó submarino" no fundo do mar, no âmbito do projeto K2D - Knowledge and Data From the Deep to Space. Este projeto explora os smart cables, para recolha de dados de apoio a meios de subsuperfície não tripulados (Autonomous Underwater Vehicles).

Meios não tripulados participam operações noturnas em Troia

Meios não tripulados participam operações noturnas em Troia


No REPMUS 22 também se treinou o combate à imigração ilegal 

O NRP Andrómeda, navio hidrográfico da Marinha Portuguesa, simulou ser um navio de transporte de imigração ilegal, durante o exercício Robotic Experimentation Prototyping augmented by Maritime Unmanned Systems 22 (REPMUS 22).

A abordagem ao navio foi realizada pelo Grupo de Ação Tática (GAT) da Polícia Marítima e registada através do meio de superfície não tripulado (Unmanned Surface Vehicle) X-801 MACARÉU, desenvolvido pelo Centro de Experimentação Operacional de Veículos Não Tripulados (CEOV) da Marinha.​

No REPMUS 22 também se treinou o combate à imigração ilegal


Durante as várias séries que estão a decorrer realizou-se também um exercício que simula o apoio a um submarino sinistrado e assente no fundo do mar, com auxílio de meios não tripulados e protocolos de comunicações acústicas digitais entre o submarino e as unidades de superfície.

O NRP Sines e a sua guarnição prestaram apoio logístico e coordenaram a operação a partir do navio, com intervenção dos membros do NATO Centre for Maritime Research & Experimentation (CMRE), da Marinha Italiana e membros da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. A Marinha Italiana operou um Unmanned Surface Vehicle (SUV), o CMRE utilizou o protocolo JANUS para as comunicações digitais e a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto operou um Autonomous Underwater Vehicle (AUV), ambos drones subaquáticos. 

Houve ainda a oportunidade de embarcar alguns observadores, designadamente, um do International Submarine Escape and Rescue Liaison Office (ISMERLO), um da Marinha dos Estados Unidos da América, um da Marinha Espanhola e três da Esquadrilha de Navios de Subsuperfície da Marinha Portuguesa.  Participaram também neste exercício o NRP Hidra, o NRP Arpão e o NRV Alliance.

 NRP Sines e a sua guarnição prestaram apoio logístico

 NRP Sines e a sua guarnição prestaram apoio logístico

 NRP Sines e a sua guarnição prestaram apoio logístico








Partilhar
Conteúdo