NRP MONDEGO
CLASSE TEJO

O NRP Mondego é o terceiro navio da classe Tejo e foi aumentado ao efetivo dos navios da Marinha Portuguesa em 5 de maio de 2016. Integra um conjunto de cinco navios adquiridos à Marinha Real Dinamarquesa substituindo os navios de patrulha costeira da classe Cacine, que operam há mais de 45 anos ao serviço de Portugal.
Flâmula HeráldicaO ondado de azul e branco simboliza o rio, razão que presidiu à escolha deste padrão para as flâmulas dos navios da classe Tejo. O vermelho é sinónimo de bravura, magnanimidade e vitória.
PATRONOO rio Mondego tem um comprimento total de 234 quilómetros. A sua nascente situa-se na Serra da Estrela, no conselho de Gouveia, no sítio de Corgo das Mós (ou “Mondeguinho”), a uma altitude de cerca de 1425 metros.
CaracterísticasBoca9mComprimento54mDeslocamento345,8tCalado3.8máxAutonomia7 dias

​​​​​​​​​MISSÃO E EMPREGO

O NRP Mondego, (ex-GLENTEN - P550) esteve ao serviço da Marinha Real Dinamarquesa entre fevereiro de 1992 e outubro de 2010, tendo sido posteriormente vendido a Portugal em outubro de 2014 e rebatizado com o nome de NRP Mondego (P592).
Após um período de reconfiguração e modernização com recurso à indústria nacional, nos estaleiros navais do Arsenal do Alfeite S.A., o NRP Mondego integrou o dispositivo naval do Sistema de Forças e encontra-se apto para desempenhar um vasto leque de missões e tarefas.
Este tipo de navios, de patrulha costeira (NPC), têm como missão principal a de busca e salvamento marítimo e fiscalização marítima, com incidência na faixa costeira continental e do arquipélago da Madeira. Para além destas missões, o navio presta apoio a diversas entidades onde se inclui a Autoridade Marítima Nacional (AMN), bem como está apto a prestar apoio à população civil em situações de catástrofe, em articulação com as autoridades de proteção civil. Pode ainda integrar estruturas internacionais, como a agência europeia FRONTEX de controlo da fronteira externa da União Europeia.​

Partilhar

Conteúdo